16 março 2009

Contestação no Sporting CP.

Uma carta com ameças de morte ao presidente do Sporting, Soares Franco, ao treinador, Paulo Bento, aos jogadores Rui Patrício e Miguel Veloso e ao director desportivo Pedro Barbosa foi uma das razões que esteve por detrás da actuação da PSP no jogo com o Rio-Ave, sábado, em Alvalade. Esta ameaça, as frases ofensivas na academia e faixas com palavras críticas levaram o subintendente Carlos Ramos a suspeitar de "asneira da grossa".
"O ambiente estava muito tenso e eu estava muito preocupado com uma carta a ameaçar de morte alguns elementos do Sporting. Tendo isto em conta, tudo o que se passou durante a semana, tomei as precauções que deviam ser tomadas", disse a este jornal desportivo o subintendente Costa Ramos, que comandou os cerca de 140 elementos da PSP em Alvalade.
Em relação às faixas que a polícia retirou do estádio durante o jogo com o Rio-Ave, o presidentre do Sporting disse que não tinha tido qualquer intervenção.
Já o subintendente estranha que tenham sequer entrado no recinto, já que eram faixas que não estavam autorizadas.
"Também gostava de saber, mas a revista à entrada é feita pelos assistentes, não pela PSP. Há qualquer coisa que não está a funcionar bem", disse Cosa Ramos, explicando que se não tivessem sido retiradas "alguns adeptos iriam fazer asneira da grossa".

1 comentário:

ricardojl1976 disse...

www.jloeiras.blogspot.com