28 abril 2008

Ultras do PSG: Fim anunciado

"Já estava no ar há algum tempo, mas Michèle Alliot-Marie, ministra francesa do Interior, tornou oficial uma decisão inevitável. Ela anunciou a dissolução de duas claques conhecidas por seus gestos de violência, discriminação e comportamentos antidesportivos. Os Boulogne Boys, ligados ao Paris Saint-Germain, e a Facton Metz deixaram de existir. Trata-se de uma medida elogiável, mas que na prática não terá grandes efeitos visíveis.
Michèle comentou que a medida se encaixa nos anseios de tornar mais rígido o controle contra ações ofensivas no desporto, com um projeto de lei com medidas mais duras para combater a violência nos estádios. A proposta será encaminhada nos próximos dias ao Parlamento, e esse pacote de regras será amplamente discutido. O fim desses dois grupos de ultras significa uma resposta rápida do governo à sociedade após os recentes e chocantes casos de racismo vistos no futebol do país.
O caso da claque do PSG tornou-se o mais discutido e de maior repercussão. Apenas para lembrar, alguns membros dos Boulogne Boys participaram da confecção e exibição de uma faixa com uma frase ofensiva aos habitantes do norte da França. A atitude condenável ocorreu durante o segundo tempo da decisão da Copa da Liga, no Stade de France. O adversário do clube da capital era o Lens, cuja sede se localiza na mesma região retratada de forma depreciativa por parte da claque parisiense.
No caso da Faction Metz, o grupo, formado por cerca de quarenta pessoas, causou polémica na parte final do confronto contra o Lyon, em Gerland. Os ultras, ligados a movimentos de extrema direita, fizeram o típico cumprimento nazi, com os braços esticados. Além disso, entoaram cânticos discriminatórios e de exaltação ao regime de Adolf Hitler, com uso de símbolos do regime.
Os Boulogne Boys, grupo mais numeroso, coleccionam gestos de violência em seu currículo. Criada em 1985, a claque envolveu-se em diversos confrontos, actos de vandalismo e discriminação. Na sala a eles destinada no Parc des Princes foram encontrados vestígios da confecção da faixa exibida no Stade de France. Há ainda o caso da morte de um de seus membros após o jogo contra o Hapoel Tel Aviv, para a taça Uefa. Um polícia à paisana usou a arma para tentar proteger um adepto da equipa israelita da perseguição dos ultras, que o ofendiam com termos antisemitas. O assassino, negro, também foi vítima de discriminação.
A ministra usou o bom senso para anunciar a dissolução destes dois grupos. No entanto, a situação pouco mudará na prática. O exemplo dos próprios Boulogne Boys mostra como erradicar o problema vai muito além de proibir um grupo de pessoas de entrar no estádio com camisolas e faixas que as identifiquem com a facção. Todos se reúnem no mesmo lugar no estádio e se juntam no mesmo bando, tanto antes, como durante e após a partida. Tira-se apenas a identidade de cada elemento, mas a essência continua ali, na forma de um grande grupo organizado.
Além disso, no caso das claques do PSG, há grupos tão ou mais violentos do que os Boulogne Boyz. Os Gavroches, que ficam praticamente no mesmo sector no Parc des Princes, são ainda mais brutais, sem contar os pequenos grupos formados por radicais, extremistas e bandidos. Fisicamente, os Boulogne Boys deixaram de existir, mas a sua alma deve vagar tranquilamente para nortear os pensamentos nada agradáveis dos seus membros. Há ainda um longo trabalho a fazer, mas pelo menos a França parece disposta a ir até o fim para combater este mal."

Artigo publicado no site Trivela.com sobre o fim de duas claques do futebol francês, os Boulogne Boys, e a Facton Metz.

7 comentários:

Anónimo disse...

www.ultras12.tk

Anónimo disse...

Honra aos Boulogne Boys um dos simbolos do apoio a uma equipa na França e um dos simbolos de resistência contra o sistema destruidor das pátrias europeias.

1893 disse...

Sim, ou seja honra a animais racistas que fazem mal a pessoas inocentes e em vez de apoiar o clube e conviver com os amigos vão para os estádios lutar por ideais políticos que já morreram. Honra aos verdadeiros adeptos de futebol. Merda de sociedade

INVICTA MCMLXXXIII SUPPORTERS

Anónimo disse...

vá lá um tripeiro dizer alguma coisa decente... psg pá segunda, se não puder acabar também

Anónimo disse...

honra sim para boulogne boys...os boulogne hao-de existir sempre nos nosso coraçoes.e o psg nao ira descer e os boulogne irao sobriver....paris est magic...boulogne boys estarao sempre na tribune boulogne-bloc b3...sempre a lutar ....

Anónimo disse...

Concordo com o 1893, fdx politica não tem nada haver com bola crl. Vamos masé apoiar os nossos clubes e deixar a politica pros cotas.

SLB

Anónimo disse...

Amuiguinhos tudo é politica até a tentativa de abolição das claques ,Racismo é outra coisa que eu pessoalmente não concebo...quando a bófia nos agride É POLITICA EMBORA ERRADA,mas tudo é politica amiguinhos até não podermos dizer o que queremos livremente...RED BOY Cota Gina