20 dezembro 2007

Claques ilegais levam clubes a jogar em estádios vazios.

"Os clubes que mantenham o apoio aos grupos organizados de adeptos não legalizados serão penalizados com a realização dos seus jogos à porta fechada. Esta é uma das penalizações previstas no projecto diploma para o combate à violência, racismo e xenofobia da Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto que ainda carece de discussão e aprovação. Se a nova legislação já estivesse em vigor, por exemplo, Benfica e Vitória de Guimarães jogariam os seus encontros em "casa" sem público, o que representaria um enorme prejuízo financeiro.
É que, ao contrário do que se passa com as claques do Sporting e do FC Porto, as dos encarnados e as do Vitória não estão registadas nem tão pouco avançaram com o processo junto do Conselho para a Ética e Segurança no Desporto. Aliás, neste momento, umas dez claques, num universo de quase três dezenas, estão em situação legal, e outras tantas têm o processo em andamento.
"Apenas podem ser objecto de apoio por parte dos promotores do espectáculo desportivo, nomeadamente através da concessão de facilidades de utilização ou cedência de instalações, apoio técnico, financeiro ou material, os grupos organizados de adeptos constituídos como associações, nos termos gerais de direito ou no âmbito do associativismo juvenil, e registados como tal no CESD (...) A concessão de facilidades de utilização ou cedência de instalações a grupos de adeptos que estejam constituídos como associações é da responsabilidade do promotor do espectáculo desportivo, cabendo-lhe, nesta medida, a respectiva fiscalização", lê-se nos pontos 1 e 4 do artigo 12 do diploma, que é muito claro quanto à punição ao clube infractor: "O incumprimento do disposto no presente artigo implica para o promotor do espectáculo desportivo, enquanto as situações indicadas nos números anteriores se mantiverem, a realização de espectáculos desportivos à porta fechada." Um castigo que vem substituir a multa ou interdição de um clube jogar no seu estádio, mas que também nunca foi cumprida, à semelhança da obrigatoriedade do registo das claques (Decreto-lei 16/2004).
O acesso dos grupos organizados aos recintos desportivos também apresenta novidades. Entre elas o facto de os clubes não poderem vender bilhetes em quantidade superior ao número de elementos filiados. E para melhor segurança e fiscalização, os ingressos têm que estar devidamente identificados com o nome do titular."

in Diário de Notícias

4 comentários:

Anónimo disse...

vai po caralho admin knd falares das claques do vitoria vai komer merda ja sei k n vais por este post mas kaga nisso lol
vitoria ate morrer!!!!!1

The7Neo disse...

Como vês até te enganaste, e se soubesses ler tinhas reparado que foi um artigo que saiu no Diário de Notícias. Se não gostas recomendo-te o que tu mesmo disseste....

Anónimo disse...

É por causa de gajos como tu "espanhol" que existem gajos como o Laurentino Dias.

Punk & Drunk disse...

J� n�o podemos apoiar os nossos clubes!!
Ser� que esse senhores que andam nas campanhas eleitorais do PS,CDS.PSD.PCP est�o legalizados???
Tamb�m s�o claques de apoio ou n�o?!?!?!