17 agosto 2007

Comunicado da BRIGADA - Ultras Sporting

O ClaquesPortugal publica na íntegra o comunicado da Brigada - Ultras Sporting ácerca da famosa Lei 16/2004.

UMA NOVA ÉPOCA SE AVIZINHA, A LEI DO BASTÃO SERÁ A MESMA?

A época que hoje se inicia parece ser bastante prometedora para os defensores da legislação imposta em 2004.
A famosa Lei 16/2004, que serve o propósito de adoptar medidas preventivas e punitivas em caso e manifestação de violência associadas ao desporto, começa finalmente a tomar contornos de aplicabilidade nas nossas curvas. Agora sim, mais do que nunca, iniciou-se a fase da repressão.
Já no final da época transacta os incidentes do jogo entre Benfica e Porto parecem ter acordado os (ir)responsáveis que tomam as rédeas do poder, de tal forma que os grupos de apoio à equipa encarnada foram impedidos de utilizar o seu material coreográfico, bem como de realizar qualquer tipo de coreografia mais elaborada. Esta proibição estendeu-se aos grupos de adeptos das equipas visitantes e até a estádios vizinhos, nos quais se verificou a caricata situação de no “Dia das Claques”, alguns grupos serem privados de utilizar o seu equipamento sonoro.
No jogo entre Braga e Vitória de Setúbal os ultras do Braga mostraram uma tarja onde se podia ler “Arbitragens em Portugal=Vergonha”. Atentando à liberdade dos adeptos, a PSP teve mais uma vez uma postura indigna ao tentar retirar a faixa aos adeptos.
Na final da Taça de Portugal, calhou a vez aos ultras do Belenenses, que após terem elaborado a sua coreografia, foram forçados a encontrar uma alternativa às cerca de oito mil bandeiras que já tinham preparadas, devido a restrições de segurança impostas pela FPF. A mesma FPF que foi responsável pelo reduzido número de bilhetes distribuídos entre os dois clubes participantes. E para que não caia no esquecimento, relembramos mais uma vez a má actuação da polícia aquando da entrada dos adeptos sportinguistas no estádio do Jamor.
Já na pré-época, após os incidentes no jogo entre Leixões e Vitória de Guimarães, assistiu-se a um comportamento discriminatório da SAD de um dos clubes envolvidos relativamente à sua claque organizada, sendo que a mesma tem agora a sua existência em risco devido ao facto de não estar legalmente organizada.
Estes são apenas alguns exemplos, que servem para recordar a nossa indignação perante a “lei da repressão”. A nossa postura permanece inalterável, desde 12 de Setembro de 2004, dia em que decidimos traçar o nosso rumo, independentes e livres: NÃO À LEI 16/2004.
Esta Lei não serve nenhum propósito senão o controlo apertado da liberdade dos grupos ultra, castrando o seu irreverente espírito de iniciativa e diminuindo o seu peso na vida e destino dos clubes. É discriminatória e repressiva. Além disso, funciona unilateralmente, já que apenas são cobradas as responsabilidades dos adeptos e grupos organizados e não as dos clubes. Onde está a “redução tarifária” que permitiria a “presença paritária nas bancadas, assegurando a dimensão familiar do espectáculo desportivo”?
As consequências desta estúpida lei começam agora a ser visíveis aos olhos de um maior número de ultras. Não se trata de um problema exclusivo dos ultras verdes, ou dos encarnados, ou dos azuis, ou seja de que cor for. É algo que afecta todas as curvas nacionais. É altura de dizer BASTA!
O futuro avizinha-se negro. Tememos que a repressão se vá fazer sentir cada vez mais, não só a nível da censura de entrada de material nos estádios, mas também ao nível da discriminação comparativamente ao adepto comum, sem nunca esquecer a forma como somos tratados pelas forças de segurança.

“Ultras, um alvo a abater!”

Será este o lema para 2007/2008?...

BRIGADA - Ultras Sporting

17 de Agosto de 2007

Fonte: BRIGADA - Ultras Sporting

8 comentários:

Anónimo disse...

fazer comunicados é fácil. trabalhar para combater as coisas de que falam é dificil.


faltam protestos a sério em portugal.
faltam grupos a sério em portugal.
no fundo falta mentalidade...

Anónimo disse...

Pois ao faltar mentalidade..

falta tudo!!!

Anónimo disse...

lol que comédia estes agora não tem outro assunto... andam nisto á quanto tempo? tudo aquilo que apontam já se passava muito antes de existir a lei que tanto criticam! repressão? houve sempre, simplesmente agora está na moda falar sobre ela, é uma boa forma de "publicidade" seguindo o caminho mais facil e teóricamente mais "vendido".. continuem a falar de uma lei de que não conhecem.. mas já que vos causa tanto transtorno façam algo mais do que simples comunicados para espalhar na net..

Boots disse...

Apoio totalmente este comunicado demonstra um nível apurado de mentalidade, alargando mais o espectro do mesmo, bem para alé do grupo deles, o que em Portugal é muito raro ver-se.
Para os que o criticam pergutem-se o que fazem para combater este estado de coisas, é claro que só um comunicado não chega, mas mesmo estes se forem multiplicados, por todos os grupos e associaos a outras demonstrações individuais ou colectivas, dos diversos grupos nacionais podem levar a um maior alertar de consciências e forçar a alterar uma lei que é a meu ver, anti-constitucional.

Parabéns pelo comunicado, irei difundi-lo.

Liberdade para os ultras.

P.S: Para os que dizem ah e tal façam assim ou assado, não digam aos outros para fazer qualquer coisa... tomem-no em mão e façam-no vocês.

jagunços disse...

pessoal isso ja se passa á muito tempo nos por exemplo (white angels) ja ha 3anos que nao nos deixam entrar nem com megafone nem bandeiras no nosso proprio estadio sejam qual forem as bandeiras... por isso contra esses gajos so ha uma coisa a fazer juntar uma manif ultra

Anónimo disse...

manif ultra? Só mesmo um parolo do norte para vir com esta conversa.... podem marcar a manif aqui na luz.... serão bem recebidos como sempre....

Sportinguista disse...

jagunços, nem te incomodes a responder ao comentario de cima. Apercebe-te apenas, tal como eu fiz, de que esse tipo de acções que falas é quase impraticável em portugal. É que nós cá em Portugal, dos italianos, é raro ir buscar as coisas boas.
Cumprimentos ultras e bem vindos ao vosso lugar de sempre.

Anónimo disse...

iniciativas como estas são apenas o inicio de uma luta desigual que não tem luz ao fim do tunel.
Uma batalha que provavelmente nunca iremos vencer mas que poderemos minimiza-la áquilo que realmente a lei é.
Esta apenas se traduz numa maior repressão que começa na comunicação social e que acaba no poder das instituições.

Enquanto estivermos a medir o seu impacto e a tentar estabelecer o que é bom e o que é mau, a "união" dos grupos nacionais por uma causa é cada vez mais improvavel.

Apelar à consciencia dos ultras e do verdadeiro adepto nunca é demais.
Contra a desigualdade !

Força!

FA84